JUDO CAMINHO SUAVE

"Para a prática do judô, seguir a cultura japonesa é fundamental."
  



                                                                  JIGORO KANO                                                                                                                                                    


                                  Nascido em 28 de outubro de 1860, em Mikage, distrito de Hiogo, filho de Jirosaku Maresiba Kano, Jigoro Kano com apenas onze anos de idade transferiu-se para Kioto para estudar o idioma inglês, então indispensável para o progresso em qualquer sentido e que, possibilito mais tarde tornar-se professor e tradutor dessa língua e ainda, montar sua própria escola em Tóquio, o Kobunkan.  
                                   Galgou um a um os degraus da Escala Imperial Japonesa, chegando ao segundo grau após sua morte, ocorrida em 04 de maio de 1938, portanto, com 77 anos de idade, quando voltava do Cairo onde participou da Assembléia Geral do Comitê Internacional dos Jogos Olímpicos.
                                   Era de baixa estatura, medindo 1,50 metro e seu peso, proporcional a altura, não ia além de 50 quilos. Aos dezessete anos, teve seu primeiro professor, mestre Fukuda, da escola Coração de Salgueiro, depois mestre Isso, e ainda Likudo. Buscou conhecimento também em outras escolas, para tanto estudando com rara persistência, o que lhe permitiu um pouco mais tarde formar um conjunto de técnicas, regras e princípios que viriam a constituir o Judô que hoje conhecemos.
                                   Formado pela Universidade Imperial de Tóquio, em Letras e ciências estéticas e morais, no ano de sua formatura em 1882, funda sua escola, o Kodokan, na qual pretendeu impulsionar um novo método de luta, mais esportiva, mais intuitiva, mais segura e sem os segredos que impediam uma divulgação generalizada, para que todos pudessem usufruir, desde criança até adultos de idade mais avançada.
                                   Sua vida não ficou conhecida, nem marcada e não atingiu as culminâncias só através do Jiu-Jitsu e do Judô, mas a sua cultura lhe possibilitou galgar alto posto no Ensino, no esporte e no governo de seu país. Foi professor, vice-presidente e reitor do Colégio dos Nobres, Adido do Ministro da Casa Imperial, Conselheiro do ministro da Educação Nacional, Diretor da Escola Normal Superior e, ainda, secretário da Educação Nacional.
                                   Fundou sociedades e institutos para jovens e também o primeiro clube de baseball do Japão. Editou revistas, viajou para Europa e América do Norte em missão cultural. Foi ainda Diretor da Educação primária, presidente do Centro de Estudos das Artes Marciais e o primeiro japonês a pertencer ao Comitê Olímpico Internacional e, ainda, presidente da Federação Desportiva do Japão.
                                   Notadamente, para quem como Kano introduziu também o desporto e a Educação Física no plano educacional do Japão, fato esse que já seria suficiente para perpetuar seu nome como educador e como esportista. Leva Jigoro Kano o galardão de Pai da Educação Física do Japão.
 

HISTÓRICO

                        Os primeiros indícios da utilização pelo homem de algumas formas primitivas de luta individual e sem armas data de três a quatro mil anos a.C., a partir daí, os sinais tornam-se mais nítidos e numerosos, possibilitando uma avaliação mais segura e precisa que nos autorizem afirmar que praticamente todos os povos da remota Antigüidade já praticavam alguma forma de luta esportiva ou bélica. Assim foram os hindus, os chineses, os povos da Europa, das Américas e da Ásia, inclusive do Japão onde, segundo alguns historiadores algumas formas de lutas já eram conhecidas à cerca de dois mil anos a.C.
 
                        Porém, até o século XVI as técnicas eram ainda muito primitivas e pobres, havendo a partir desse século uma evolução muito grande, principalmente em função da intensificação do uso por parte dos "samurais" que, além do aperfeiçoamento das existentes, desenvolveram uma enorme quantidade de técnicas novas que vieram enriquecer e consolidar o Jiu-Jitsu.
 
                        No fim do século XIX, mais precisamente em fins da década de setenta e início da década de oitenta, quando Jigoro Kano inicia um estudo sistemático das artes marciais, já com os olhos voltados para a montagem de sua própria escola. Notava ele então, o empirismo das escolas e dos métodos da época. Estas estavam muito preocupadas com seus segredos e em ignorar os valores das outras, que propriamente progredir na busca da perfeição técnica e moral. A rivalidade nunca foi tão grande entre as escolas como nessa época, procurando uma destruírem as outras a qualquer custo, servindo os meios mais ilícitos, importando apenas a própria sobrevivência.
 
                        Como vemos, a ética e a moral não existiam e isso preocupou Jigoro Kano que colocou essa mesma ética e essa mesma retidão moral como meios a serem alcançados. As técnicas também não lhe satisfaziam pela pobreza e inexistência de princípios pedagógicos e científicos e ainda mais, os perigos que essas técnicas representavam, causando acidentes mais ou menos graves que impossibilitavam uma participação maior, ampla e generalizada com que sonhava. Assim retirou-se com alguns alunos para o templo budista de Eishosi onde estudou e analisou cientificamente as técnicas mais em evidência na época, separando o que de bom havia, inventando quando necessário e surgindo então um novo método pela fusão de técnicas do antigo Jiu-Jitsu e dos princípios pedagógicos, morais e científicos e, ainda, sem um perigo maior de acidentes.
 
                        Esse foi um período de grandes provações para Kano, pois mesmo lecionando no Colégio Gakushuin e, também mantendo sua escola de Inglês, o Kobunkan para cobrir as despesas com seus alunos em Eishioi, passava longas horas à noite fazendo traduções. Nessa época, todas as formas de luta e suas escolas eram vistas como uma espécie de reduto de marginais, portanto, não eram bem vistas pela sociedade e Kano tinha que também sobrepor a essa discriminação.
 
                        Ainda aluno do mestre Likudo, Jigoro Kano inicia a montagem de sua escola, o Kodokan, em fevereiro de 1882 e para isso convidou alguns alunos do colégio Kakushuin e da sua escola de inglês, o Kobunkan, vários do quais alojou no templo de Eishosi e os mantinha às suas expensas. O primeiro aluno foi Tomita, que estava sempre à mão para Kano testar e aperfeiçoar as técnicas que desenvolvia.
 
                        A Tomita seguiram-se Yamashita, Shiro Saigo, Yokoayama, Nagaoka, Higushi, Nakagima, Arima e Amano Kai, e ainda, segundo o mestre Terayama, Matsuoka< Ysso Gay Kaso, Tobata Nobutaro e Toko Sambo. O Kodokan crescia em tamanho, em virtudes e no respeito da sociedade e para que assim continuasse, foram instituídas algumas normas que os alunos prometiam seguir e por elas empenhavam sua palavra:
 
-         Se for admitido no Kodokan, prometo não ensinar  e nem divulgar os conhecimentos da arte que me será ensinada, salvo com autorização de meus mestres.
-          Não farei demonstrações públicas com o fim de obter lucros.
-         Minha conduta nunca será de forma a comprometer e desacreditar o Kodokan.
-         Não abusarei e nem farei uso indevido dos conhecimentos que vier a ter.
 
Quando o Mestre Jigoro Kano criou o Judô, tinha como objetivo através do homem melhorar o mundo. Assim ele idealizou uma forma de defesa que aproveita a agressividade do adversário usando-a contra o mesmo. O Judô é, portanto uma arte marcial meramente defensiva e tem como princípio filosófico "Ceder para Vencer".
 
 Por encerrar princípios filosóficos em seus ensinamentos, o Judô não é somente um esporte ou uma forma de defesa, mas sim, é principalmente, um método educacional eficaz que atua no comportamento e na formação de caráter de crianças, adolescentes e adultos de ambos os sexos.
 
Cair, derrubar, rolar, imobilizar, etc. são alguns dos ensinamentos de uma aula de Judô, cujos efeitos atuam continuamente modificando o comportamento dos praticantes, principalmente na canalização da agressividade, auto confiança que é desenvolvida, o relacionamento com outras pessoas, relacionamento em grupo, e o auto conhecimento.
 
O treinamento do UKEMI além de mecanizar os movimentos para cair sem se machucar, tem como objetivo relaxar o corpo e mostrar que, tal qual no DOJO é possível cair sem se machucar e levantar de cabeça erguida para a luta, tal qual é na vida. O UTIKOMI permite o contato corpo a corpo, desinibindo e possibilitando uma troca de energia entre os praticantes, além de treinar repetidamente uma técnica de arremesso e de combate de solo. O HANDORI prepara o atleta para a competição, treinando em movimento as técnicas de Judô, desenvolvendo a autoconfiança e o saber ganhar ou perder.
 
O DOJO é uma extensão da vida onde praticando o Judô se aprende a viver melhor vencendo todos os obstáculos.
 
A palavra KIAI pode ser traduzida como "união dos espíritos". Ao KIAI é atribuído o poder de concentrar o espírito do praticante a ponto de unir ao seu adversário e de o subjugar.
 
O KIAI é utilizado no Judô, às vezes, acompanhado de um grito, tendo o poder de descontrolar o adversário a ponto de parar completamente seu ataque e lançá-lo ao solo.
 
A palavra Judô significa JU - Suavidade e DO - Caminho, daí ser o Judô chamado caminho da suavidade.
 
SUAS VANTAGENS
- Faculdades Físicas
O Judô é praticado sob forma de esporte em todas as épocas do ano. Nunca é perigoso ou brutal. Mulheres, homens de idade, jovens, meninos e meninas, todos podem praticá-lo.
O Judô constitui a cultura física mais completa que se possa desejar, uma vez que todas as partes do corpo entram em ação de todos os modos, em todas as direções e se desenvolve harmoniosamente, adquirindo força e flexibilidade. Aquele que o pratica adquire igualmente inúmeros meios de autodefesa de que um dia talvez tenha necessidade para salvar a própria vida ou de uma outra pessoa.
O judoca adquire rapidamente um corpo livre e ágil, completamente desenvolvido, prontamente utilizável em todas as circunstâncias.
- Faculdades Morais e Mentais
Um judicioso e regular treinamento provocam um sadio desenvolvimento nas faculdades intelectuais, um espírito de rápidos reflexos, habituado a agir com decisão, dotado de um juízo equilibrado e essencialmente prático.
O espírito de tolerância e de justiça, assim como os domínios de si mesmo, são as características básicas de um bom judoca.
Por sua própria natureza, o Judô proporciona aos que a ele se dedicam seriamente um sentido bem exato do valor das coisas e de sua relatividade, uma seriedade e uma penetração de espírito acima da média, que forja o caráter e afirma a personalidade.
 
PRINCÍPIO DO JUDÔ
 
O princípio fundamental do Judô é o equilíbrio. Há no corpo humano uma vertical onde ele se assenta e uma vez inclinado ao lado tende a perder o equilíbrio para que todo o peso possa unificar nesta vertical, desabando-se assim. É baseado na gravidade. Explicando-se melhor, tomemos um copo comum. O copo permanece de pé uma vez na linha da gravidade, inclinando-se e soltando-se ele perderá o equilíbrio e cairá.
No homem o centro de gravidade está situado em qualquer parte do corpo. O Judô ensina como deslocar o centro da gravidade.
Quando um homem caminha, conforme dá o passo o homem perde o equilíbrio, mas a perna que vai para frente serve de suporte. Experimente anular o suporte: o homem desaba violentamente porque não conseguiu recuperar a linha da gravidade sobre si.
O conhecimento do equilíbrio, e como perturbá-lo, é o segredo do Judô.
 
ELEMENTOS BÁSICOS
 
                                   Fundamentos são todos elementos indispensáveis a formação do judoca relativamente à ética do Judô, à disciplina a ser mantida no DOJÔ e fora dele a moral.
 
PARA PRATICAR O JUDÔ DEVEMOS OBEDECER AS SEGUINTES REGRAS
O dojo é um local onde purificamos e enriquecemos a mente e o espírito. Portanto, tal local deve ser preenchido com atitudes de respeito, gratidão, e ajuda mútua. Ao entrar no dojo você percebe que todas as pessoas esforçam-se para manter essas atitudes, logo estas devem ser praticadas com sinceridade.
O texto seguinte contém algumas regras simples de comportamento.
O ato de inclinar-se é uma forma apropriada de demonstrar gratidão e humildade necessárias ao bom andamento do treino
  • Quando se inclinar
    • Ao entrar e sair do dojo;
    • Ao entrar e sair do tatame de treino;
    • Antes do treino, incline-se ao shomen e depois ao instrutor.
    • Após o treino, incline-se ao sensei depois ao shomem.
    • Incline-se sempre que for pedir auxílio a alguém.
  • Guia geral de etiqueta
    • O instrutor deve ser sempre tratado com respeito;
    • O instrutor deve ser sempre referido por "Sensei";
    • Procure não interromper o treino por razões desnecessárias. Se precisar perguntar algo, aguarde um momento adequado;
    • Não chame ou interrompa o Sensei enquanto ele estiver ensinando;
    • Não abandone o tatame durante o treino sem antes pedir autorização ao Sensei;
    • Não se deve conversar enquanto o Sensei demonstra alguma técnica. Ao treinar com seu parceiro, procure conversar apenas o necessário;
    • Se você estiver no dojo, mas não no tatame, respeite o treino dos demais e fique em silêncio. Convidados devem ser informados destas atitudes;
    • Ao receber instruções pessoalmente, permaneça quieto até que o Sensei complete sua explicação. Depois se incline e agradeça;
    • É inapropriado para um aluno (incluindo faixas pretas) oferecer instrução aos demais a não ser que ele seja autorizado a auxiliar o Sensei. Este é um ponto essencial para o seu desenvolvimento pessoal e deve ser seguido cuidadosamente;
    • Quando o instrutor estiver ensinando um ponto, não procure ir além, a não ser que você seja autorizado a fazê-lo;
    • Não fique fazendo comparações entre seu Sensei com outros. Cada instrutor tem características únicas a serem compartilhadas;
    • Procure chegar sempre mais cedo para o treino;
    • Se você chegar atrasado para o treino, aguarde do lado de fora do tatame até que o instrutor autorize-o a entrar;
    • Todos os alunos devem já estar alinhados em posição antes do Sensei adentrar o tatame;
    • A posição formal de sentar-se no tatame é seiza. Se você tem algum ferimento ou por alguma outra razão não pode sentar-se assim, explique ao Sensei e ele o autorizará a sentar-se com as pernas cruzadas. Nunca se sente com as pernas esticadas, deite ou descanse em outra posição dentro do tatame;
    • Procure não ficar ocioso durante o treino. Se não estiver treinando, sente-se formalmente e aguarde sua vez;
    • O local de treino de artes marciais deve permanecer limpo. Se você vir algum resquício de sujeira ou coisa parecida, não espere alguém limpar, limpe você mesmo. Isso faz parte de seu treinamento;
    • Trate suas 'ferramentas de treino' com cuidado. Seu kimono deve estar sempre limpo e costurado.
    • Um par de calçados é parte de seu uniforme. Use de preferência chinelos ou sandálias e, ao entrar no tatame, deixe-os do lado de fora voltados para o lado contrário do tatame;
    • Seus corpos, principalmente seus pés, devem estar limpos antes de entrar no tatame;
    • Não treine se você tiver ingerido algum tipo de bebida alcóolica ou drogas, a não ser que sejam medicamentos prescritos por um médico;
    • Entre no dojo com pensamento positivo. Não existe local para pessimismo no dojo;
    • Anéis, relógios ou outros acessórios não devem ser usados durante o treino, pois podem machucar você ou seu companheiro;
    • Mascar chiclete ou comer dentro do tatame não é permitido;
    • Se estiver doente ou exausto, procure repousar ao invés de treinar, pois você pode piorar seu estado;
    • Não é permitido fumar no dojo;
    • Não critique ninguém ou outra arte marcial;

O JUDOÍSTA DEVE SABER

 
            A disciplina é fundamental, pois relaciona com as normas de qualquer academia e também em outros setores da vida.
            O respeito é indispensável, uma vez que, para treinar e competir depende dos seus colegas, dos superiores hierárquicos ou até como filosofia de vida.
            A educação é fator importante de disciplina pessoal, uma vez que deve conduzir o atleta à lealdade dentro do JUDÔ.
            A dedicação é essencial em qualquer modalidade esportiva. Além de depender o treinamento extra ou especial, depende também de algumas regras de alimentação.
            Existem outros fatores importantes como a força de vontade, desenvolvimento físico e técnico, onde podemos resumir dizendo que sem estes ninguém chega a perfeição.
 

O ESPÍRITO DO JUDÔ

 
· “AQUELE QUE PRATICA O JUDÔ NÃO SE APERFEIÇOA PARA LUTAR, LUTA PARA SE APERFEIÇOAR”.
 
·  “CONHECER-SE É DOMINAR-SE, DOMINAR-SE É TRIUNFAR”.
 
· “JUDOCA É O QUE POSSUI: INTELIGÊNCIA PARA COMPREEDER AQUILO QUE LHE ENSINAM; PACIÊNCIA PARA ENSINAR AQUILO QUE APRENDEU AOS SEUS SEMELHANTES, E FÉ PARA ACREDITAR NAQUILO QUE NÃO COMPREENDE”.
 
· “QUEM PENSA EM PERDER JÁ ESTÁ VENCIDO”.
 
· “SOMENTE SE APROXIMA DA PERFEIÇÃO QUEM A PROCURA COM CONSTÂNCIA, COM SABEDORIA E SOBRETUDO COM MUITA HUMILDADE”.
 
· “SABER CADA DIA UM POUCO MAIS E USÁ-LO TODOS OS DIAS PARA O BEM, ESSE É O CAMINHO DOS VERDADEIROS HOMENS”.
 
· “QUANDO VERIFICARES COM TRISTEZA QUE NÃO SABES NADA TERÁS FEITO O PRIMEIRO PROGRESSO NO APRENDIZADO”.
 
· “NUNCA TE ORGULHES DE HAVER VENCIDO UM ADVERSÁRIO: O QUE VENCESTE HOJE, PODERÁ DERROTAR-TE AMANHÃ. A ÚNICA VITÓRIA QUE PERDURA É A QUE SE CONQUISTA SOBRE A PRÓPRIA IGNORÂNCIA”.
 
· “NAS ÁGUAS DO RIO DA VIDA CHEGA MAIS LONGE QUEM NADA COMO DEVE, QUANDO DEVE E ATÉ ONDE DEVE”.
 
· “O CORPO É UMA ARMA CUJA EFICÁCIA DEPENDE DA PRECISÃO COM QUE SE USA A INTELIGÊNCIA”.
 
·   “VIVE EM PAZ COM OS TEUS SEMELHANTES”.
 
· “É SOMENTE ATRAVÉS DA AJUDA MÚTUA E DAS CONCESSÕES RECÍPROCAS QUE UM ORGANISMO AGRUPANDO INDIVÍDUOS EM NÚMERO GRANDE OU PEQUENO PODE ENCONTRAR SUA HARMONIA PLENA E REALIZAR VERDADEIROS PROGRESSOS”.
 
· “A SIMPLICIDADE É A CHAVE DE TODA ARTE SUPERIOR, DA VIDA E DO JUDÔ”.
 
·  “SUTILEZA NA TÉCNICA E FINURA NA ESTÉTICA SÃO ÚTEIS PARA A EFICÁCIA DA ARTE, MAS ESCAPAM A QUALQUER DESCRIÇÃO”.
 
· “A DERROTA NA COMPETIÇÃO E NO TREINAMENTO NÃO DEVE SER UMA FONTE DE DESÂNIMO OU DE DESESPERO. É  SINAL DE NECESSIDADE DE UMA PRÁTICA MAIOR E DE ESFORÇOS REDOBRADOS”.
 
·  “O JUDÔ ULTRAPASSOU O ESTÁGIO PRIMITIVO DA UTILIDADE PARA ATINGIR O DE UMA CIÊNCIA E DE UMA ARTE”.
 
· “O JUDÔ NÃO DEVE SER REVESTIDO POR UM RÓTULO NACIONAL, RACIAL, POLÍTICO, PESSOAL OU SECTÁRIO”.
 
· “O JUDÔ PODE SER CONSIDERADO COMO UMA ARTE, OU UMA FILOSOFIA DE EQUILÍBRIO, BEM COMO UM MEIO PARA CULTIVAR O SENTIDO E O ESTADO DE EQUILÍBRIO”.
 
· “O ADVERSÁRIO É UM PARCEIRO NECESSÁRIO AO PROGRESSO; A VIDA DA HUMANIDADE BASEIA-SE NESTE PRINCÍPIO”.
 
·  “NÃO SE ENVERGONHE POR CAUSA DE UM ERRO; VOCÊ  ESTARIA COMETENDO UMA FALTA”.
 
· “QUANDO SE PERCEBE A POTÊNCIA DO JUDÔ, COMPREENDE-SE QUE NÃO SE PODE USÁ-LO LEVIANAMENTE, POIS ELE PODE SER TÃO PERIGOSO QUANTO UMA ESPADA DESENBAINHADA”.
 
· “A MAIOR GLÓRIA NÃO ESTÁ EM NUNCA CAIRMOS, MAS EM NOS LEVANTAR TODAS AS VEZES QUE CAIRMOS”.
 
·  “APRENDA A CONHECER A SÍ MESMO; DOMINAR-SE PARA DEPOIS DOMINAR OS OUTROS”.
 
·  “É COM CONSTÂNCIA E HUMILDADE QUE SE VAI CONSEGUINDO A PERFEIÇÃO”.
 
·  “A VITÓRIA VEM DA VONTADE DE FAZER TUDO CERTO, DO INÍCIO AO FIM. DE NÃO SE PERMITIR ERROS, DE DAR DE SÍ O MÁXIMO ABSOLUTO”.
 
CÓDIGO MORAL

GENTILEZA – É RESPEITAR OS OUTROS


CORAGEM - É FAZER O QUE É JUSTO

SINCERIDADE – É SE EXPRESSAR SEM OCULTAR SEUS SENTIMENTOS

HONRA – É MANTER A PALAVRA

MODÉSTIA – É FALAR DE SÍ SEM VAIDADE

RESPEITO – SEM RESPEITO NÃO HÁ CONFIANÇA

AUTOCONTROLE – É FICAR QUIETO QUANDO A RAIVA AFLORA

AMIZADE – É O MAIS PURO DOS SENTIMENTOS HUMANOS

 








 


 




 Noções de Judô


 
 
. Principais Regras                                                  . Ayumi-Kata (Shin-Tai) - Maneira de andar (deslocamento)
. Algumas Palavras usadas no Judô                          . Kumi-Kata - Maneira de Segurar (pegadas)
. Números                                                               . Tai-Sabaki - Movimento do corpo
. Partes do Corpo                                                    . DAN-I – Graduação
. Ukemi - Amortecimento de queda                           . OBJETOS - Para o Judô
. Shisei - Posturas                                                   . Shizen-Tai - Posição Natural



 
Para praticar o Judô devemos obedecer principalmente as seguintes regras:
- Respeitar os superiores e os colegas.
- Cumprimentar corretamente ao entrar e sair do Dojô.
- Manter silêncio no Dojô.
- Ajoelhar em ordem,quando da chegada do professor.
- Estar atento as instruções do professor.
- Sentar-se corretamente no tatami.
- Não beber água durante as aulas.
- Sair durante as aulas somente em casos de extrema necessidade,com a devida permissão do professor.
- Conservar o Dojô sempre limpo.
- Não treinar em outras academias sem a autorização do professor.
 


Signifado de algumas palavras usadas no Judô: 
- DOJÔ – Academia (Salão de Concentração)
- JÔ-SEKI – Lugar onde se sentam as autoridades (ao lado do altar)
- REI-HÔ – Saudação ( Maneira de Cumprimento)
- REI – Cumprimento
- MOKUSÔ – Meditação (Fechar os olhos e manter  silêncio)
- ZA-REI – Cumprimento ajoelhado
- RITSU-REI – Cumprimento em pé
- SHI-HAN – Mestre
- SENSEI – Professor
- SEITÔ – Aluno
- DÔO-HAI – Colegas
- NINTAI – Perserverança (paciência)
- DORYOKU – Esforço (empenho)
- HISSHYÔ – Ei de vencer
- KATANÁ – Espada
- DAITÔO – Espada Maior
- SHÔOTÔO – Espada Menor
- TANTÔO – Punhal
- BOKKEN – Espada de Madeira
- TÊ – GATANÁ – Mão usada como Espada
- HÔOTYÔO – Faca
- HASSAMI – Tesoura
- TANJYÚ –Revolver
- TOKEI – Relógio
- TAIMU-DOKEI – Cronômetro
- JIKAN – Horário (ou horas)
- FUN – Minutos
- BYÔO – Segundos
- SEMPAI – Superiores (Classe)
- KÔ –HAI – Inferiores (Classe)
- ANATA – Senhor (ou Senhora)
- KIMI – Você
- WATAKUSHI – Eu
- BOKU – Eu  (Masculino)
- OHAYÔ-GOZAIMASU – Bom Dia
- KON-NITI-WA –  Boa Tarde
- KON-BAN-WA – Boa Noite
- SAYONARA – Até Logo
- GOMEM (SHIKKEI) –  Perdão , desculpe-me
- GOMEN-KUDASSAI – Com licença
- ONEGAI-SHIMASU – Por Favor
- ARIGATÔ-GOZAIMASU – Obrigado
- SUMIMASEN – Perdão
- HATÁ – Bandeira
- KOKKI – Bandeira Nacional
- AKÁ – Vermelho
- SHIRÔ –  Branco
- AÔ – Azul
- KII – Amarelo
- MIDORI – Verde
- MURASAKI – Roxo
- TYAIRÔ – Marrom
- ORENJI – Laranja
- KURÔ – Preto
- SENSHU-KEN – Campeonato
- SEKAI – Mundial
- KOKUSAI – Internacional
- NAMBEI – Panamericano
- ZENKOKU – Nacional
- KEN – Estadual
- CHI – Capital
- GUN – Munícipio
- MURÁ –  Bairro
- KUIKI –Distrito
- KIAI  –Grito
 

Números:      
                                               CONTAGEM DE 1 A 100 :

001 - ICHI
002 - NI
003 - SAN
004 - SHI
005 - GO
006 - ROKU
007 - SHITCHI
008 - HATCHI
009 - KYU
010 - JYU

011 - JYU ITCHI
012 - JYU NI
013 - JYU SAN
014 - JYU SHI
015 - JYU GO
016 - JYU ROKU
017 - JYU SHITCHI
018 - JYU HATCHI
019 - JYU KYU
020 - NIJYU

030 - SANJYU

040 - YONJYU

050 - GOJYU

060 - ROKUJYU

070 - SHITCHIJYU / NANAJYU

080 - HATCHIJYU

090 - KYUJYU

100 - HIAKU  



Algumas partes do Corpo :   
- ATAMÁ = Cabeça.
- KAMI = Cabelo.
- MIMI = Orelha.
- HANÁ = Nariz.
- MÊ = Olho.
- MAYGUÊ = Sobrancelha.
- MATSUGUÊ = Cílios.
- KUTI = Boca.
- HÁ = Há.
- AGÓ = Queixo.
- KUBI = Pescoço.
- NODÔ = Garganta.
- KAO = Rosto.
- HITAI = Testa.
- KATÁ = Ombro.
- UDÊ = Braço.
- HIDI = Cotovelo.
- TÊ-KUBI = Pulso.
- KOBUSHI = Punho.
- TÊ-NO-KÔ = Dorso da Mão.
- TÊ = Mão.
- YUBI = Dedo.
- TSUMÊ  = Unha.
- DÔO = Tronco.
- KOSHI = Quadris.
- MOMÔ = Cocha.
- WAKI = Axila.
- TAI = Corpo.
- HIZÁ = Joelho.
- KAKATO = Calcanhar.
- SUNÊ = Canela.
- KIBISU = Calcanhar.
- AKILES = Tendão de Aquiles.
- ASHI =  Pé.
- ASHI = Perna.
- KURUBUSHI  = Tornozelo.
- ASHI-NO-URA = Sola do Pé.
- ASHI-NO-YUBI = Dedo do Pé.
- ASHI-NO-KÔ = Dorso do Pé.
- KARADÁ = Corpo.
- HARÁ =  Ventre.
 

 
Ukemi - Amortecimento de queda:   
- TÊ-UTI-UKEKI = Queda à batida de mão.
- ZEMPÔ-KAITEM-UKEMI = Queda com giro frontal.
- MAE-UKEMI =  Queda frontal.
- YOKÔ-UKEMI = Queda ao lado.
- USHIRO-UKEMI = Queda de costas.
 

 
Shisei - Posturas:   
- ZAI = Posição sentado.
- ZEI-ZÁ = Ajoelhado.
- KYOSHY = Apenas uma perna ajoelhada.
- TYU-GOSHI = Posição agachado.
- TYOKU-RITSU = Posição de sentido.
- RITSUI-I = Posição em pé.
 

 
Shizen-Tai - Posição Natural:  
- SHIZEI-HONTAI = Posição Natural Fundamental.
- MIGUI-SHIZENTAI  = Posição Natural Direita.
- HIDARI-SHIZENTAI = Posição Natural Esquerda.
- JIGÔ-TAI  = Posição de Defesa.
- JIGÔ-HONTAI  =  Posição de Defesa Fundamental.
- MIGUI-JIGÔ-TAI = Posição de Defesa Direita.
- HIDARI-JIGÔ-TAI = Posição de Defesa Esquerda.

  


 

Ayumi-Kata (Shin-Tai) - Maneira de andar (deslocamento) :   
 
- AYUMI-ASHI = Passo normal.
- SURI-ASHI = Passo normal arrastado.
- TSUGO-ASHI = Passo emendado.
 


 

Kumi-Kata - Maneira de Segurar (pegadas) :  
- MIGUI-KUMI =  Pegada na posição direita.
- HIDARI-KUMI = Pegada na posição esquerda.
- FUSEGUI  = Defesa.

 


 
Tai-Sabaki - Movimento do corpo:  
- MAE-SABAKI = esquivas com movimento para frente.
- YOKÔ-SABAKI = esquivas com movimento para o lado.
- MAWARI-SABAKI = esquivas com movimento em volta.
- USHIRÔ-SABAKI =esquivas com movimento para trás.

 

DAN-I – Graduação:  
- DANGAI = Faixa branca à marrom.
- YUDANSHA = Faixa preta.
- KÔ-DANSHA = Faixas de alto grau.
- IKKYU = Faixa Marrom.
- NI-KYU = Faixa Roxa.
- SAN-KYU = Faixa Verde.
- YON-KYU = Faixa Laranja.
- GO-KYU = Faixa Amarela.
- RO-KYU = Faixa Azul.
- MUKYU = Faixa Branca.
- SHODAN = 1º Grau Preta.
- NIDAN = 2º Grau
- SAN-DAN = 3º Grau
- YON-DAN = 4º Grau
- GO-DAN = 5º Grau
- ROKU-DAN = 6º Grau Branca e Vermelha
- HITI-DAN = 7º Grau
- HATI-DAN = 8º Grau
- KYU-DAN = 9º Grau Vermelha
- DYU-DAN = 10º Grau  

Objetos para o Judô :              
- TATAMI = Acolchoado.
- ZÔRI = Chinelo.
- KIMONO (ou JUDOGUI) = Roupa de Judô.
- OBI = Faixa
- ZUBON (SHITABAKI) = Calça
- HIMÔ = Fio
- ERI = Gola
- NAKAERI  = Meio da Gola
- OKU – ERI = Fundo da Gola
- USHIRO – ERI = Atrás da Gola
- MON – DONKORÔ = 10 cm abaixo da gola atrás
- UÊ = Acima
- SHITÁ = Abaixo
- KAMI = Acima
- SHIMÔ = Abaixo
- GYAKU= Contrário
- KESSA = Ângulo
- NIGUIRI = Apertar
- KÔ-TAI = Trocar de Adversário
- KIKEN = Desistência
- SHISÔO = Quatro Lados
- ZEMPÔ = Parte Frontal  

 
TREINAMENTO , FAIXA , COMPETIÇÃO E OUTROS TERMOS:  
- TREINAMENTO:
1 - UTIKOMI-RENSHU = Treinamento de Técnicas
2 - KATA(KIHON-RENSHU) = Treinamento de Base
3 - RANDORI (JIYÚ-RENSHU) = Treino Livre
4 - KANGUEIKO = Treino de Inverno
5 - SHOTSUGUEIKO = Treino de Verão
6 - HARI-SOKE-GUEIKO = Ataque Combinado
7 - HYAPPON-GUEIKO = Treinamento com Queda
8 - SHIAI-GUEIKO = Treinamento de Disputa
9 - RENRAKU-RENKA-WASA = Técnica de Sequência
10 – KAESHI-WAZA = Contra-Ataque

- FAIXA:
1 – MAE – OBI = Frente da Faixa
2 – YOKÔ – OBI = Lado da Faixa
3 – USHIRO – OBI = Atrás da Faixa

- COMPETIÇÃO :  
1 –  TAIKAI = Campeonato.
2 – SHIAI-JO = Área de Competição.
3 – SHIN-PAN-HÔ = Arbitragem
4 – SHIN-PAN-IN = Árbitros
5 – SHUSHIN = Árbitros Central
6 – FUKUSHIN = Árbitros Lateral
7 – HAJIMÊ = Iniciar
8 – SOREMADÊ = Terminar
9 – MATÊ = Pare
10 – SONO-MAM A = Pare do Jeito que está
11 – YOSHI = Continuar
12 – OSAE-KOMI = Comando de Imobilização
13 – TOKETA =  Comando de Desimobilização
14 – IPPON = Pontuação Completa
15 – WAZA-ARI = Meio Ponto
16 – YUKO = Um quarto de Ponto
17 – KOKÁ =  Um oitavo de Ponto
18 – HANSOKU-MAKE = Penalidade Máxima (desclassificação)
19 – KEIKOKU = Penalidade (meio-ponto) igual a Waza-Ari
20 – CHUI = Penalidade (um quarto de ponto) igual a Yukô
21 – SHIDÔ = Penalidade ( um oitavo de ponto) igual a Koká
22 – FUSEN-GÁTI = Vitória sem Adversário (ausência)
23 – SÔGO-GÁTI = Vitória a ponto somado.
24 – KIKEN-GATI = Vitória em desistência.

-   OUTROS TERMOS:  
1 – KUZUSHI = Desequilibrio
2 – TSUKURI = Preparo
3 – KAKÊ = Projeção (Executar)
4 – MIGUI = Direita
5 – HIDARI = Esquerda
6 -  OMOTÊ = Frente
7 – URA = Atrás
8 – UTSUBUSSE = Bruço
9 – YUTSU-BAI = De qatro
10 – SANKAKU = Triângulo
11 – JU-JI = Cruzado
12 – TORI = Ataque (no caso de defesa pessoal, será contrário)
13 – UKE = Defesa (no caso de defesa pessoal,  será contrário)
14 – MOROTE = Duas Mãos
15 – RYO-TÊ = Duas Mãos
16 – KATA-TÊ = Uma Mão
17 – WIKI = Puchada
18 – SHIBORI = Apertar (torcer)
19 – SEISHIN = Espírito
20 – SHIN-SHIN = Espírito e Físico (corpo)  

 

TÉCNICAS
. Kaeshi-Waza - Contra Golpe
. Renraku-Renka -Waza - Golpe em Sequência
. Técnica de  Projeção - (cinco séries)
. Classificação de Judô
. Técnicas para Exame de Faixas Superiores
 

Kaeshi-Waza - Contra Golpe : 
 
 
TAI - OTOSHI 
 TAI - OTOSHI
 KATA - GURUMA 
KATA - GURUMA 
IPPON – SEOI - NAGUE
MOROTE-GARI
KOSHI - GURUMA
KOSHI - GURUMA
KOSHI - GURUMA 
KOSHI - GURUMA
TSURIKOMI - GOSHI
TSURIKOMI - GOSHI
 TSURIKOMI - GOSHI 
HARAI – GOSHI
 HARAI - GOSHI
 HARAI - GOSHI
 HANE –  GOSHI
 HANE –  GOSHI
 HANE –  GOSHI 
HANE –  GOSHI 
HANE –  GOSHI
 UTI –  MATA
 UTI –  MATA
 UTI –  MATA
 UTI –  MATA
 SASSAE - TSURIKOMI-ASHI
 SASSAE - TSURIKOMI-ASHI
 SASSAE - TSURIKOMI-ASHI
 SASSAE - TSURIKOMI-ASHI
 SASSAE - TSURIKOMI-ASHI
 SASSAE - TSURIKOMI-ASHI 
Ô – SOTO – GARI 
Ô – SOTO – GARI
 Ô – SOTO – GARI 
Ô – SOTO – GARI
 Ô – SOTO – GARI
 Ô – SOTO – GARI
 Ô – SOTO – GARI
 Ô – UTI – GARI
 Ô – UTI – GARI
 Ô – UTI – GARI 
DE – ASHI – BARAI 
DE – ASHI – BARAI 
DE – ASHI – BARAI 
DE – ASHI – BARAI
 KO – SOTO – GAKE
 KO – SOTO – GAKE
 KO – SOTO – GAKE
 KO – UTI – GARI 
KO – UTI – GARI
 KO – UTI – GARI
 IPPON – SEOI – NAGUE 
 IPPON – SEOI – NAGUE
PARA
PARA
PARA
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA
Ô – SOTO – GARI 
OSHI – OTOSHI
HIKIKOMI – GAESHI 
TAWARA – GAESHI
OBI – OTOSHI 
TAWARA – GAESHI
USHIRO – GOSHI
YOKO – GURUMA 
UTSUSHI - GOSHI 
UTSURI – GOSHI 
USHIRO – GOSHI 
UTSURI – GOSHI 
UTSURI – GOSHI 
KARI – GAESHI 
TE – GURUMA 
TANI - OTOSHI 
USHIRO – GOSHI 
UTSUSHI – GOSHI 
UTSURI – GOSHI 
TANI – OTOSHI 
KARI – GAESHI 
TÊ – GURUMA(SOTO-GAKE) 
TÊ – GURUMA (UTI-GAKE) 
SUKASHI – NAGUE 
TAI – OTOSHI 
Ô – UTI – GARI 
KUTIGUI – TAOSHI 
OSHI – OTOSHI 
SUMI – OTOSHI 
O – SOTO – GARI 
KO – SOTO – GAKE 
TE – GURUMA 
SUKASHI – NAGUE 
O – SOTO – OTOSHI 
OSHI – OTOSHI 
SUMI – OTOSHI 
O – SOTO – OTOSHI 
KARI – GAESHI 
O – UTI – GAESHI 
UKI – WAZA 
TOME – NAGUE 
TSUBAME – GAESHI 
FUMI – KAE – ASHI 
HANE – GOSHI 
HARAI – GOSHI 
O – UTI – GARI 
UTI – MATA 
SUMI – GAESHI 
KO – UTI – GAESHI 
TOMOE – NAGUE 
OKURI – ERI – JIME 
KATAHA – JIME 
HADAKA – JIME   
 

Renraku-Renka-Waza - Golpe em Sequência :  
 

 
 

IPPON – SEOI – NAGUE 
IPPON – SEOI – NAGUE 
KATA – GURUMA  
TSURIKOMI – GOSHI 
TSURIKOMI – GOSHI 
KOSHI – GURUMA 
HARAI – GOSHI 
HANE – GOSHI 
HANE – GOSHI 
UTI – MATA  
UTI – MATA 
UTI – MATA 
UTI – MATA 
O – SOTO – GARI 
O – SOTO – GARI 
O – SOTO – GARI 
O – UTI – GARI 
O – UTI – GARI 
O – UTI – GARI 
O – UTI – GARI 
HARAI – TSURIKOMI – ASHI 
HIZA – GURUMA 
HIZA – GURUMA 
DE – ASHI – BARAI 
DE – ASHI – BARAI 
DE – ASHI – BARAI 
DE – ASHI – BARAI 
KO – SOTO – GARI 
KO – SOTO – GARI 
KO – SOTO – GARI 
KO – SOTO – GARI 
KO – UTI – GARI 
KO – UTI – GARI 
KO – UTI – GARI 
KO – UTI – GARI 
KO – UTI - GARI
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA 
PARA
UTI – MAKIKOMI 
KO – UTI – MAKIKOMI 
KO – UTI – MAKIKOMI 
KO – UTI – MAKIKOMI 
O – UTI – GARI 
SOTO – MAKIKOMI 
HARAI – MAKIKOMI 
HANE – MAKIKOMI 
O – UTI – GARI 
KO – UTI – GARI 
O – UTI – GARI 
KIBISSU – GAESHI MAKIKOMI 
O – SOTO – GURUMA 
O – SOTO – OTOSHI 
SUMI –  OTOSHI 
TAI – OTOSHI 
SASSAE – TSURIKOMI – ASHI 
KO – UTI – GARI 
UKI – OTOSHI 
SUMI – OTOSHI 
DE – ASHI – BARAI 
KO – SOTO – GARI 
O – SOTO – GARI  ( MESMO PÉ) 
TAI – OTOSHI 
HARAI – GOSHI 
SEOI – OTOSHI 
ASHI – GURUMA 
SUKUI – NAGUE 
OBI – OTOSHI 
NIDAN – GAKE 
KIBISSU – GAESHI 
KUTIGUI – TAOSHI 
O – UTI – GARI 
TAI –  OTOSHI 
SEOI - OTOSHI
 
Técnica de  Projeção - (cinco séries) 

. DAI-IKKYÔ - 1ª Serie
. DAI-NIKYÔ - 2ª Serie
. DAI-SANKYÔ - 3ª Serie

. DAI-YONKYÔ - 4ª Serie
. DAI-GOKYÔ - 5ª Serie

DAI-IKKYÔ - 1ª Serie 
1 - KUMI - KATA  (SHIZEN - HONTAI)
2 - DEASHI - HARAI
3 - HIZA - GURUMA
4 - SASAE - TSURI - KIMI - ASHI
5 - UKI - GOSHI
6 - OSOTO - GARI
7 - OGOSHI
8 - OUTI - GARI
9 - SEOI - NAGUE
 


 

DAI-NIKYÔ - 2ª Serie 
1 - KUMI - KATA  (MIGUI -SHIZENTAI)
2 - KOSOTO - GARI
3 - KOUTI - GARI
4 - KOSHI - GURUMA
5 - TSURI - KOMI - GOSHI
6 - OKURI - ASHI - HARAI
7 - TAI - OTOSHI
8 - HARAI - GOSHI
9 - UTI - MATA
 

 
  
DAI-SANKYÔ - 3ª Serie  
1 - KUMI - KATA  (HIDARI -SHIZENTAI)
2 - KOSOTO - GAKE
3 - TSURI - GOSHI
4 - YOKO - OTOSHI
5 - ASHI - GURUMA
6 - HANE - GOSHI
7 - HARAI - TSURI - KOMI - ASHI
8 - TOMOE - NAGUE
9 - KATA - GURUMA

 


 
DAI-YONKYÔ - 4ª Serie 

1 - KUMI - KATA  (MIGUI - JIGOTAI)
2 - SUMI - GAESHI
3 - TANI - OTOSHI
4 - HANE - MAKI - KOMI
5 - SUKUI - NAGUE
6 - UTSURI - GOSHI
7 - O - GURUMA
8 - SOTO - MAKI - KOMI
9 - UKI - OTOSHI
 
 

 

DAI-GOKYÔ - 5ª Serie  

1 - KUMI - KATA (HIDARI - JOGOTAI)
2 - OSOTO - GURUMA
3 - UKI - WAZA
4 - YOKO - WAKARE
5 - YOKO - GURUMA
6 - USHIRO - GOSHI
7 - URA - NAGUE
8 - SUMI - OTOSHI
9 - YOKO - GAKE

 


CLASSIFICAÇÃO DE JUDÔ 
 
. Nague - Waza     : Técnica de Projeção
. Katame  - Waza  : Técnica de Domínio no Solo
. Shime  - Waza    : Técnica de Estrangulamento
. Kansetsu - Waza : Técnica de Chave de Braço
 

Nague-Waza : Técnica de Projeçäo 
 

1 - TATI WAZA : Técnica em Pé
      a) TE WAZA          =     Técnica de Mãos.
     b) KOSHI WAZA   =     Técnica de Quadris.
     c) ASHI WAZA      =     Técnica de Pés.


2 - SUTEMI WAZA : Técnica de Sacrifício  
     a) MASUTEMI WAZA       =      Projeção Frontal.
     b) YOKOSUTEMI WAZA   =      Projeção Lateral.
  

 1 - TATI WAZA : Técnica em Pé

a) TE WAZA = Técnica de Mãos. 
 
 

1. IPPON – SEOI – NAGUE (I) 
2. IPPON – SEOI – NAGUE (II) 
3. IPPON – SEOI – NAGUE (III) 
4. MOROTE  ou  MA – SEOI – NAGUE (I) 
5. MOROTE  ou  MA – SEOI – MAGUE (II) 
6. ERI  ou  UTSUSHI – ERI – SEOI – NAGUE  
7. SEOI – OTOSHI (I) 
8.
SEOI – OTOSHI (II) 
9.
KATA – GURUMA (I) 
10. KATA – GURUMA (II) 
11. KATA _ GURUMA (III) 
12. UKI – OTOSHI (I) 
13. UKI – OTOSHI (II) 
14. TAI – OTOSHI (I) 
15. TAI – OTOSHI (II) 
16.
SUMI – OTOSHI (I) 
17. SUMI – OTOSHI (II) 
18.
MORO – TE – GARI 
19. TÊ – GURUMA (I) 
20. TÊ – GURUMA (II) 
21. SUKUI – NAGUE 
22. KUTIGUI – TAOSHI 
23. KIBISSU - GAESHI 
 
 

 

b) KOSHI WAZA   =  Técnica de Quadris.  
 
 

1. KOSHI – GURUMA 
2. TSURIKOMI – GOSHI (I) 
3. TSURIKOMI – GOSHI (II) 
4. SODÊ – TSURIKOMI – GOSHI 
5. Ô – GOSHI 
6. UKI – GOSHI  
7. Ô – TSURI – GOSHI 
8. KO – TSURI – GOSHI 
9.
HARAI – GOSHI 
10. HANE – GOSHI
 
c) ASHI WAZA  =  Técnica de Pés.
 
 

1. Ô – SOTO – GARI 
2. Ô – SOTO – OTOSHI 
3.
Ô – SOTO – GURUMA 
4. SASSAE – TSURIKOMI – ASHI 
5. HARAI – TSURIKOMI – ASHI (I) 
6. HARAI – TSURIKOMI – ASHI (II) 
7. OKURI – ASHI – BARAI 
8. DE – ASHI – BARAI (I) 
9. DE – ASHI – BARAI (II) 
10. UTI – MATA (I) 
11. UTI – MATA (II) 
12. HIZÁ – GURUMA 
13. ASHI – GURUMA (I) 
14. ASHI – GURUMA (II) 
15. Ô – GURUMA 
16. Ô – UTI – GARI (I) 
17. Ô – UTI – GARI (II) 
18. Ô –UTI – GARI (III) 
19. KÔ – SOTO - GARI 
20. KÔ – SOTO – GAKE (I) 
21. KÔ – SOTO – GAKE (II) 
22.
KÔ – UTI – GAKE (I) 
23.
KO – UTI – GAKE (II) 
24. KÔ – UTI - GARI
 
  
2 - SUTEMI WAZA : Técnica de Sacrifício  
 
a) MASUTEMI WAZA   = Projeção Frontal.
 
 

1. TOMOE – NAGUE 
2. SUMI – GAESHI 
3. SUMI – NAGUE 
4. TAWARA - GAESHI 
5. URA – NAGUE
 
 
b) YOKOSUTEMI WAZA   =  Projeção Lateral.
 
 

1. UKI – WAZA 
2.
YOKO – GAKE 
3. YOKO – WAKARE 
4.
YOKO – OTOSHI 
5. YOKO – GURUMA 
6. TANI – OTOSHI 
7. KIKIKOMI – GAESHI 
8.
SOTO – MAKIKOMI 
9. UTI – MAKIKOMI 
10. HARAI - MAKIKOMI 
11. HANE - MAKIKOMI 
12. KÔ – UTI - MAKIKOMI 
13.
KAKAE – NAGUE 
14. OBI – OTOSHI 
15. YOKÔ - TOMOE
 
Katame  - Waza   : Técnica de Domínio no Solo
1 - OSSAEKOMI-WAZA ou OSSAE - WAZA  : Técnica de Imobilização
     a) KESSA - GATAME 
     b) SHIHÔ - GATAME
     c) KATA - GATAME
     d) ILUSTRAÇÕES  

a) KESSA - GATAME   
 
 

1. HON – KESSA – GATAME 
 
sdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsdsd
2. KUZURE – KESSA - GATAME (I) 
 
Braço D. de TORI na axila E. de UKE
3. KUZURE – KESSA – GATAME (II) 
 
TORI prender o braço de UKE no seu peito
4. KUZURE – KESSA – GATAME (III) 
 
Prender ambos os braços
5. KUZURE – KESSA – GATAME (IV) 
 
Prender só um braço
 6. MAKURA – KESSA – GATAME (I) 
 

7. MAKURA – KESSA – GATAME (II)
Segurar Ushiro - Eri e Axila, como Sankaku
8. MAKURA – KESSA – GATAME (III) 
 
mão D. na axila E. de UKE e braço por baixo da nuca do mesmo
9. USHIRO – KESSA – GATAME (I) 
 
Braço E. por fora do braço E. de UKE
10. USHIRO – KESSA – GATAME (II) 
 
Braço E. por dentro do braço E. de UKE
11. USHIRO – KESSA – GATAME (III) 
 
Prender a perna D. de UKE com o braço E.
12. USHIRO – KESSA – GATAME (IV) 
 
Prender a mão E. de UKE na axila E., segurar a calça do mesmo com a mão D.
 
  
b) SHIHÔ - GATAME 
 
 

1. KAMI - SHIHÔ - GATAME (I)
dfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsfdfsd
2 - KUZURE - KAMISHIHÔ - GATAME (I)
Segurar a faixa dos dois lados por dentro dos braços
3 - KUZURE - KAMISHIHÔ - GATAME (II)
Segurar a faixa com as nãos trançadas 
4 - KUZURE - KAMISHIHÔ - GATAME (III)
Como  Katame - No - Kata
5 - KUZURE - KAMISHIHÔ - GATAME (IV)
Prender os dois braços
6 - KUZURE - KAMISHIHÔ - GATAME (V)
Como Kata-gatame com as mãos trançadas
7 - UOKÔ - SHIHÔ - GATAME 
fsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsdfsd
8 - KUZURE - YOKÔ - SHIHÔ - GATAME (I)
Segurar faixa com a mão E.
9 - KUZURE - YOKÔ - SHIHÔ - GATAME (II)
Prender o braço de UKE com os dois braços
10 - KUZURE - YOKÔ - SHIHÔ - GATAME (III)
Como Kata-Gatame com as mãos trançadas
11 - KUZURE - YOKÔ - SHIHÔ - GATAME (IV)
Segurar a munheca de UKE
12 - TATÊ - SHIHÔ - GATAME
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaasdasds
13 - KUZURE - TATÊ - SHIHÔ - GATAME (I) 
Prender os dois braços
14 - KUZURE - TATÊ - SHIHÔ - GATAME (II)
Prender só um braço.
  
c) KATA - GATAME  
 
 

1 - KATA - GATAME (I)
Postura de Kyoshi
2 - KATA - GATAME (II)
Sentado
 
d) ILUSTRAÇÕES 
 

 

 
UKE 
(POSIÇÃO DEITADO)
 
TORI 
(POSIÇÃO AJOELHADO)
 
HON - KESSA - GATAME
 
KUZURE - KESSA - GATAME
 
USHIRO - KESSA - GATAME
 
MAKURA - KESSA - GATAME
 
KAMI - SHIHÔ - GATAME 
 
 
KUZURE - KAMI - SHIHÔ - GATAME
 
YOKÔ - SHIHÔ - GATAME 
 
 
KUZURE - YOKÔ - SHIHÔ - GATAME
 
TATE - SHIHÔ - GATAME 
 
 
KATA - GATAME
 
 
 
Shime  - Waza   : Técnica de Estrangulamento  
 
1 - MAE - JIME
2 - YOKO - JIME
3 - USHIRO - JIMO
4 - ILUSTRACÕES

 
1 - MAE - JIME
 
 

1. NAMI – JUJI – JIME 
2.
KATA – JUJI – JIME 
3.
GUIAKU – JUJI – JIME 
4. URA – JUJI – JIME (I) 
5. URA – JUJI – JIME (II) 
6. TSUKKOMI – NAMI – JIME 
7. TSUKKOMI – GUIAKU – JIME 
8.
TSUKKOMI – USHIRO – JIME 
9. KATATE – JIME 
10. MAKI – JIME (I) 
11. MAKI – JIME (II) 
12. HASSAMI – JIME (I) 
13.
NIGUIRI – JIME  ou  RYOTE – JIME 
14.
SANKAKU – JIME 
15. KATATÊ – JIME
 
 
2 - YOKO - JIME  
 
 

1 - YOKO - GURUMA (I)
Nami
2 - YOKO - GURUMA (II)
Guiaku
3 - YOKO - GURUMA (III)
Mão E. no Oku-eri e mão D. no Ushiro - eri
4 - WAKARE - JIME
ASASASASASASASASASASA
5 - OKURI - ERI - JIME (III)
Com o braço D.
6 - OLURI - ERI - JIME (IV)
Com o braço D.
7 - MAKI - JIME (III)
Waki - maki - jime
8 - KATATÊ - JIMÊ (II)
ASASASASASASASASAAS
  
3 - USHIRO - JIME  
 
 

1 - OKURI - ERI - JIME (I)
asdsasasasasasasasasasas
2 - OKURI - ERI - JIME (II)
Ryo - eri : Prender dois braços com as pernas
3 - KATAHA - JIME (I)
asasasasasasasasasasasasa
4 - KATAHA - JIME (II)
De quatro , prender o braço na axila
5 - SODE - GURUMA (I)
Nami
6 - SODE - GURUMA (II)
Guiaku
7 - HADAKA - JIME (I)
Como Katame - no - kata
8 - HADAKA - JIME (II)
asasasasasasasasasasasasas
9 - KAKAE - JIME
assasasasasasasasasasasas
10 - SANKAKU - JIME (II)
asasasasasasasasasasasasas
11 - JIGOKU - JIME (I)
asasasasasasasasasasasa
12 - JIGOKU - JIME (II)
asasasasasasasasasasasa
13 - MAKI - JIME (III)
Braço E. nas costas prendendo braço E. do UKE
14 - HASSAMI - JIME (III)
De quatro: mão D. no eri e perna D. na nuca
 
 
4 - ILUSTRACÕES  
 
 
UKE - SENTADO
TORI - AJOELHADO
NAMI - JUJI - JIME
KATA - JUJI - JIME
GUIAKU - JUJI - JIME
OKURI - ERI - JIME
KATAHA - JIME
JIGOKU - JIME
HADAKA - JIME
SODE - GURUMA
NIGUIRI - JIME
SANKAKU - JIME
  
Kansetsu - Waza : Técnica de Chave de Braço  
1 - UDE - GATAME
2 - WAKI - GATAME
3 - JUJI - GATAME
4 - ASHI - GATAME
5 - SANKAKU - GATAME
6 - ILUSTRAÇÕES  

1 - UDE - GATAME  

 
1 - UDE - GATAME (I)
adadasdsdasdasdasdasdasd
2 - UDE - GATAME (II)
Em pé
3 - UDE - GATAME (III)
Em pé Utsushi - eri
4 - UDE - GATAME (IV)
Começar em pé e completar deitado
5 - UDE - GATAME (V)
Com as duas mãos
6 - UDE - GATAME (VI)
Postura de Kuzure-kessa-gatame
7 - UDE - GATAME (VII)
Em pé
8 - UDE - GARAMI (I)
asdasdasdasdasdasdasdasdasd
9 - UDE - GARAMI (II)
Ushiro - Ude - Garami
10 - UDE - GATAME (VIII)
De Yoko - Shihô - Gatame

2 - WAKI - GATAME

 
1 - WAKI - GATAME (I)
Em pé
2 - WAKI - GATAME (II)
asdasdasdasdasdasdsadas
3 - WAKI - GATAME (III)
de Kuzure - Kami - Shihô I
4 - USHIRO - WAKI - GATAME 
UKE coloca a mão D. na cintura
 - JUJI - GATAME  

 
1 - JUJI -GATAME (I)
asdasdasdasdasdasdadad
2 - JUJI - GATAME (II)
adadadadasdadsadsadasd
3 - JUJI - GATAME (III)
UKE ajoelhado, TORI em pé
4 - JUJI - GATAME (IV)
UKE ajoelhado, TORI deitado
 

4 - ASHI - GATAME

 
1 - HIZA - GATAME (I)
dasdasdasdasdasdasdasdasd
2 - HIZA - GATAME (II)
adsdasdasdasdasdasdasdasdas
3 - HIZA - GATAME (III)
asdasdasdasdasdasdasdasdadasd
4 - HIZA - GATAME (VI)
UKE ajoelhado e segurar a calça de TORI
5 - ASHI - GATAME (I)
UKE de quatro , TORI ajoelhado ao lado
6 - ASHI - GATAME (II)
Ryo - Ude



5 - SANKAKU - GATAME  
 
1 - OMOTE - SANKAKU - GATAME
2 - URA - SANKAKU - GATAME
3 - TAI - GATAME (I)
4 - TAI - GATAME (II)


6 - ILUSTRAÇÕES 
 

UKE - DEITADO
UDE - GARAMI (I)
UDE - GATAME (I)
WAKI - GATAME (I)
HIZA - GATAME 
JUJI - GATAME 
UDE - GARAMI (II)
UDE - GATAME (II)
WAKI - GATAME (II)
HARA - GATAME 
SANKAKU - GATAME 
ASHI - GARAMI
  



 Técnicas para Exame de Faixas Superiores   
 
 
1 - NAGUE - NO - KATA 
3 - KIMÊ - NO - KATA 
ASDSDASDASDASDASD
ASDASDASDASDASDADASDAS
a) TE - WAZA 
b) KOSHI - WAZA 
c) ASHI - WAZA 
d) MASSUTEMI - WAZA 
e) YOKO - SUTEMI - WAZA 
f) ILUSTRAÇÕES 
a) IDORI 
b) TATI - AI 
c) ILUSTRAÇÕES 
 
 
ADSDDASDASDASDASDAS
ASDASDASDASDASDAS
2 - KATAME - WAZA
4 - ATE WAZA (ou ATEMI WAZA) - SOCOS
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS
ASDASDASDASDASDASDASDASDAS
a) OSSAEKOMI -WAZA 
b) SHIME - WAZA 
c) KANSETSU - WAZA 
d) ILUSTRAÇÕES 
a) UTI - WAZA 
b) TSUKI - WAZA 
c)  KE - WAZA 
d) ILUSTRAÇÕES
ASDASDASDASDASDSADASDASD
ASDSADASDASDASDASDASDASD


a) TE - WAZA
  
1 - Uki - Otoshi                Direita - Esquerda
2 - Ippon - Seoi - Nague  Direita - Esquerda
3 - Kata - Guruma            Direita - Esquerda
 


b) KOSHI - WAZA

1 - Uki - Goshi                  Esquerda - Direita
2 - Harai - Goshi              Direita - Esquerda
3 - Tsuri - Komi - Goshi    Direita - Esquerda



c) ASHI - WAZA
1 - Okuri - Ashi - Harai               Esquerda - Direita
2 - Sassae - Tsuri - Komi - Ashi   Esquerda - Direita
3 - Uti - Mata                             Direita - Esquerda


d) MASSUTEMI - WAZA

1 - Tomoe - Nague             Direita - Esquerda
2 - Ura - Nague                 Direita - Esquerda
3 - Sumi - Gaeshi               Direita - Esquerda


e) YOKO - SUTEMI - WAZA
   
1 - Yoko - Gake                 Esquerda - Direita
2 - Yoko - Guruma             Direita - Esquerda
3 - Uki - Waza                  Direita  - Esquerda


f) ILUSTRAÇÕES
  
 
 TE - WAZA

UKI -OTOSHI DIREITA - ESQUERDA
SEOI -NAGUE DIREITA - ESQUERDA
KATA - GURUMA DIREITA - ESQUERDA
 
KOSHI - WAZA
UKI -GOSHI ESQUERDA - DIREITA
HARAI - GOSHI ESQUERDA - DIREITA
TSURI - KOMI - GOSHI ESQUERDA - DIREITA
 
ASHI - WAZA
SASAE - TSURI - KOMI - ASHI ESQUERDA - DIREITA
OKURI - ASHI - HARAI ESQUERDA - DIREITA
UTI - MATA ESQUERDA - DIREITA
 
MASUTEMI  - WAZA  
TOMOE - NAGUE DIREITA - ESQUERDA
URA - NAGUE DIREITA - ESQUERDA
SUMI - GAESHI DIREITA - ESQUERDA
 
ASHI - WAZA
SASAE - TSURI - KOMI - ASHI ESQUERDA - DIREITA
OKURI - ASHI - HARAI ESQUERDA - DIREITA
UTI - MATA ESQUERDA - DIREITA
 
YOKO - SUTEMI - WAZA  - WAZA
YOKO - GAKE ESQUERDA - DIREITA
YOKO - GURUMA ESQUERDA - DIREITA
UKI - WAZA ESQUERDA - DIREITA

a) OSSAEKOMI -WAZA  
1 - Kessa - Gatame
2 - Kata - Gatame
3 - Kami - Shihô - Gatame
4 - Kuzure - Kami - Shihô - Gatame  


b) SHIME - WAZA

1 - Kata - Juji - Jime
2 - Hadaka - Jime
3 - Okuri - Eri - Jime
4 - Kataha - jime
5 - Guiaku - Juji - Jime  


c) KANSETSU - WAZA

1 - Ude - Garami
2 - Ude - Hishigui - Juji - Gatame
3 - Ude - Hishigui - Ude - Gatame
4 - Ude - Hishigui - Hiza - Gatame
5 - Ashi - Garami  


d) ILUSTRAÇÕES
   
OSSAE - KOMI - WAZA
UKE-DEITADO
KESA-GATAME
KATA - GATAME
KAMI-SHIHÔ - GATAME
YOKÔ-SHIHÔ - GATAME
KUZURE-KAMI-SHIHO-GATAME
 
SHIME - WAZA  
UKE-SENTADO
KATAJUJI-JIME
KADAKA - JIME
OKURI-ERI-JIME
KATAHA-JIME
GUIAKU-JUJI-JIME
 
KANSETSU - WAZA
TORI-AJOELHADO
UDE- GARAMI
UDE-HISHIGUI-JUJI-GATAME
UDE-HISHIGUI-UDE-GATAME 
UDE-HISHIGUI-HIZA-GATAME
ASHI-GARAMI
   

a) IDORI
   
1 - RYO - TE - DORI
2 - TASUKKAKE
3 - SURI - AGUE
4 - YOKO - UTI
5 - USHIRÔ - DORI
6 - TSUKKOMI
7 - KIRI - KOMI
8 - YOKÔ - TSUKI


b) TATI - AI
 
1 - RYO - TE - DORI
2 - SODE - TORI
3 - TSUKKAKE
4 - TSUKI - AGUE
5 - SURI - AGUE
6 - YOKÔ - UTI
7 - KE - AGUE
8 - USHIRO - DORI
9 - TSUKKOMI
10 - KIRI - KOMI
11 - NUKI - GAKE
12 - KIRI - OROSHI  


 
d) ILUSTRAÇÕES 
 
SHÔTÔO-Espada Menor
DAITÔO - Espada Maior
TANTÔO - Punhal
TANJYÚ - Pistola
BÔO - Bastão
 

a) UTI - WAZA
 
 
1 - KOBUSHI ATE
2 - TE - GATANA ATE
 



b) TSUKI - WAZA
1 - KOBUSHI ATE
2 - YUBISAKI ATE
3 - HIJI ATE
 


c)  KE - WAZA
 
1 - HIZA ATE
2 - SEKITÔ
3 - KAKATO ATE


d) ILUSTRAÇÕES
 
 
 
1 - TEN - TOO 
2 - UTO 
3 - KASUMI 
4 - DOKKO 
5 - GINCHU 
6 - KATSU - KAKE 
7 - SUI - GUETSU 
8 - TSUKI - KAGUE 
9 - DEN - KOO 
10 - MYO - JO 
11 - TSURI - GANE 
12 - HIZA - KANSETSU
A - HIZA - GASHIRA 
B - SEKI - TO 
C - KAKATO 
D - RYO - GAN - TSUKI 
E - HIGI 
F - TSUKI - DASHI 
G - TE - GATANA 
H - KEN 
I - HOORY (UZU MAKI) 
 


Cores dos cinturões na Europa:

Branca Amarela Laranja Verde Azul Marron Preta



Sistema em uso no Brasil:

Branca Cinza Azul Amarela Laranja Verde Roxa


















Marron Preta


KYU
8KYU Mukyu Faixa Branca
KYU Shitikyu Faixa Cinza
KYU Rokyu Faixa Azul
KYU Gokyu Faixa Amarela
KYU Yonkyu Faixa Laranja
KYU Sankyu Faixa Verde
KYU Nikyu Faixa Roxa
KYU Ikyu Faixa Marrom
As graduações de dan, ao contrário das de kyu, avançam de 1º dan (shodan) para 10º dan (judan ou jodan), o mais alto grau. Esses graus se diferenciam pelas seguintes cores das faixas:
DAN
DAN Shodan Faixa Preta
DAN Nidan Faixa Preta
DAN Sandan Faixa Preta
DAN Yondan Faixa Preta
DAN Godan Faixa Preta
DAN Rokudan Faixa Vermelha e Branca
DAN Shitchidan Faixa Vermelha e Branca
DAN Ratchidan Faixa Vermelha e Branca
DAN Kyodan Faixa Vermelha
10º DAN Judan ou Jodan Faixa Vermelha

                                                      
Contador de visitas
Besucherzähler
Contador de visitas

2 comentários:

  1. muito bom aprendi muito com essa pagina valeu

    ResponderExcluir
  2. Enjoyed very good page

    ResponderExcluir